Viagem

janeiro 11, 2010

Amanhã bem cedo vou partir em direção ao sol (ou não). Assim como quase todo ano, vou ao Nordeste passar minhas férias de verão. É nessa época que as praias lotam, que o preço do caranguejo sobe, e que o flanelinha fura o pneu do seu carro. Passar 20hrs dentro de um carro não é pra qualquer um. Ainda mais junto de seus pais, sua irmã mais nova, e seu primo. Sim, é uma missão difícil que você se acostuma em alguns dias. Porém isso tudo tem seus lados positivos.

Ir à praia pode chegar a ser enjoativo depois de alguns dias, mas a sensação de tomar um “caixote” ou de chutar o castelinho de alguém são únicas. Às vezes é difícil presenciar, mas quando se consegue, ver um ladrão sendo pisoteado é muito emocionante. Viagem também pode ser sinônimo de reflexão. As horas que você passa dentro do carro ou na mesa na praia podem lhe dar inspirações.

Tá certo que esse meu post não tá nada legal, mas o tempo que vou passar sem fazer nada pode me ajudar a melhorar isso. Também terei chances de elaborar algumas piadas boas (ou não). Nesses dias, vocês (como se alguém lesse isso) poderão ou não ver alguma postagem minha. Apesar de que será bem difícil.

Anúncios

As Metas

janeiro 2, 2010

2010 já começou. E ainda faltam 365 (ou 364, não importa) dias pra acabar. Tô começando a planejar o que fazer e o que NÃO fazer nesse ano (geralmente faço muita merda). Uma das metas é tentar fazer uma pessoa comum passar a ler meu blog ativamente. Se uma fizer isso, ô beleza. Já fico feliz. Em pensar que só eu leio o que eu mesmo escrevo…

Esse ano vou tentar mudar. Pra melhor. Vou tentar estudar mais, já que nos últimos anos não me dediquei muito. Também quero assistir Malhação até o final (brincadeira, não sou masoquista). E vou tentar zerar uns 20 jogos pelo menos. Também tem algumas outras coisas, mas prefiro não comentar.

Pensando bem, é muita falta do que fazer escrever isso. Uma das metas deveria ser: Não postar bosta nesse blog. Só que seria difícil. Eu não teria o que postar…

e Ano Novo também…

janeiro 1, 2010

Meu Deus, mas que semana agitada. Quase que não consigo tempo pra postar aqui. Primeiro Natal, agora Ano Novo. Porque só tem feriado assim quando estamos de férias? Bosta de cronologia. Mas enfim, esse é o primeiro post meu nesse blog em 2010. ÊBA. Tomara que isso vá pra frente nesse ano de agora.

Ano Novo era pra ser uma época de se pensar no que mudar e no que fazer no ano que tá começando, mas ninguém faz isso. Preferem ir pra praia (ou quando se mora onde não tem, pra uma chácara ou wherever) ficar pulando ondinhas e vendo fogos explodirem zoando os ouvidos dos cãezinhos.

Aqui em casa não é só meu cachorro que odeia Ano Novo, eu também odeio. Me irrito muito com fogos de artifício, e não acho legal ver aquilo estourando no ar. Seria mais proveitoso mandar uma bomba de verdade lá pro Iraque. Muita gente fica de Ressaca no Natal, e antes mesmo de se recuperar, chega o Ano Novo. Natal + Reveillon = Coma Alcóolico pra muita gente.

Outra coisa que sempre tem são aquelas simpatias. Blusa branca, dinheiro no bolso, dinheiro na meia, cueca amarela, meia rosa. Mas que merda. É o ano novo, não uma parada gay rica. Porém eu confesso, fiz umas dessas simpatias também. Eu usei blusa branca (normal), pus dinheiro no bolso e na meia (normal também), e usei meia amarela (escroto pra caralho). Se não bastasse, dei 10 pulinhos com o pé direito. Depois de fazer isso tudo, espero que meu ano realmente seja bom.

Então é Natal…

dezembro 25, 2009

Sim, sim. Hoje é Natal. Hoje não é só um feriado, é um dia bem diferente. Hoje é aquele dia que você vê seus primos que moram do outro lado do país, que você fala com aquele seu vizinho chato, e também o dia que você mais ganha presentes (ou não).

O Natal pra muita gente é o dia do nascimento de Jesus. Porém isso tudo é simbologia. Porque na verdade é o nascimento do Sol. O engraçado é que muita gente teima que é o aniversário de Jesus. Sendo que tudo leva a crer que o aniversário dele é pra lá de maio. O Natal é cheio de lendas. Tem mais mentiras que no primeiro de abril.

Pra quê uma árvore de Natal zoada por pisca-piscas irritantes e bolinhas coloridas? Isso pra mim significa que no Natal é dia de sair fazendo travessuras em todas as árvores da rua. Não faz sentido. Assim como o Papai Noel. Um velho (tá, tá. Idoso) que no dia 25 (apenas no 25) visita todas as casas do mundo. Como se não bastasse. Ele tem que levar todos os presentes em um saco super-ultra-mega resistente em cima de um mero trenó carregado por Renas que usam pó de pirim-alguma-coisa.

Aqui em casa ele nunca passou (porque não tem chaminé) e mesmo assim eu ganhava presentes. Eu também nunca deixei uma meia cheia de bolinhos (o Arruda experimentou dinheiro mesmo) com um copo de leite do lado. Ou ele gosta de mim, ou ele não existe e quem me dava os presentes era o meu pai. Prefiro apostar na segunda opção.

Natal geralmente é sinônimo de compras no shopping e o tão odiado amigo oculto. O amigo oculto deveria ter outro nome. Porque todo mundo sabe quem você tirou, exceto a própria pessoa (e ninguém garante que ela não saiba). Sem contar que é muito chato comprar um presente maneiro e receber uma caixa de bombom (blargh). As compras no shopping são como as de sempre. Exceto no fato de você ter que ficar horas em uma fila esperando sua vez. De entrar no estacionamento. Depois disso você ainda tem que conseguir andar pelo shopping (que parece ser habitado por pessoas que não sabem que “dois corpos não ocupam o mesmo espaço”) para enfim chegar em uma loja. Depois do presente te escolher (você nunca pega o que quer, pega o que cai na sua mão), você enfrenta mais filas. A da hora de pagar, a confusão pra sair do shopping, e a outra fila do estacionamento.

O Natal definitivamente não é um dia legal, apesar da ceia e dos presentes…

Que Diabos

dezembro 17, 2009

Essa é uma passagem não-bíblica ocorrida meados de 2005.

Já que faz muito tempo, não tenho a mínima ideia de quando exatamente aconteceu. Naquela época eu tinha um amigo escroto pra caralho, o Lucas. Sim, o Lucas. Tudo bem, tá certo. O Lucas. O Lucas era meu melhor amigo na época. Eu e ele nos reuníamos e passávamos horas e horas descobrindo muitas coisas. Sobre fantasmas. A gente não tinha muito conhecimento sobre isso. Nós só ficávamos o dia inteiro vendo fotos e lendo histórias na internet.

Um dia a gente resolveu visitar um antigo orfanato da região (hoje em dia é uma escola técnica, apesar de ainda ter uma parte não reformada do lugar). Lá era conhecido pelas lendas toscas que o povo criava e por tudo estar destruído. Era frequente aparição de seres sombrios ali. Como maconheiros, mendigos e metaleiros. Quando fui ali, resolvi ir com o Lucas e com mais 2 amigos. Outro Guilherme e uma Mariana. Se não me engano, esse Guilherme era viado e a Mariana homenzinho. Se eles não lerem isso não tem problema.

Quando fomos visitar, a futura escola já tinha instalado portões para que ninguém entrasse ali. Uma coisa que a gente nunca via era um porteiro. Só que nesse dia tinha um ali. Ele levou a gente pra fazer um pequeno tour. A gente perguntava sobre as lendas e ele sempre confirmava e/ou corrigia. Tinham diversas lendas: A do padre que havia violentado e matado uma garota. A da menina afogada no poço e também a do Rafinha Bastos sem cabeça (na verdade um cara de 2m de terno). 3 lendas em um lugar só. E a gente acreditava. Enquanto a gente estava lá não aconteceu nada de estranho, mas a gente viu muita coisa louca. Tipo pentagramas e outros símbolos lá nas paredes queimadas (provavelmente ouve incêndio lá).

Sempre que eu passava por lá eu me cagava de medo. E minha imaginação sempre me sacaneava. Eu juro que eu via a Hebe em uma janela de lá. Infelizmente não era um fantasma, já que para ser fantasma ela tinha que estar morta. Faz tempo que não volto lá. Espero encontrar o Lombardi da próxima vez.